Tiago Lobo cobra informações sobre o combate a Dengue

O parlamentar quer saber se estão ocorrendo às reuniões do Comitê Inter Setorial

Publicado em: 09 de novembro de 2018

Foi aprovado na última sessão ordinária um requerimento do vereador Tiago Lobo (PCdoB), no qual cobra informações do Executivo sobre as reuniões da comissão interinstitucional, conhecida como Comitê Inter Setorial de Combate à Dengue, que deveriam ser realizadas no município. Segundo o parlamentar, a comissão deveria possuir representantes de vários setores da Administração, sendo um comitê preconizado pela Secretaria Estadual da Saúde e pelo Ministério da Saúde.
 
“Este é um comitê que foi estabelecido pela Lei Municipal n. 2.947/2015 e tem por finalidade desenvolver ações conjuntas na prevenção e no combate à dengue, transmitida através do mosquito Aedes aegypti, mosquito transmissor também da febre chikungunya e da zica vírus. Como não sabemos que está sendo feito na cidade para combater estas doenças, tomei a liberdade de fazer este requerimento. Estamos em temporada de chuvas e dias mais quentes, propícios à proliferação do mosquito. Com Saúde não se brinca”, afirmou Tiago.
 
No documento o vereador questiona que considerando que o aparecimento do mosquito é sazonal e que a Administração já iniciou os trabalhos de prevenção nas escolas municipais, através do projeto educacional denominado IEC (Informação, Educação e Comunicação), será o mesmo estendido para as indústrias e as escolas privadas do município.
 
Outro questionamento destaca que nos anos de 2014 e 2015, o Comitê Inter Setorial de Combate à Dengue se reunia com uma agenda programática, devida ao momento que atravessávamos, considerado o mais difícil na história do país em relação a Dengue e se atualmente, o comitê está se reunindo como antes e qual a periodicidade dessas reuniões. 
 
“Coincidentemente ao meu requerimento, no domingo, dia 4, o Jornal TodoDia trouxe uma matéria destacando que os casos de Dengue triplicaram na RMC, e no quadro, aparece Nova Odessa com cinco casos em 2017, bem como cinco casos agora em 2018. Porém, em toda a região, de janeiro a setembro foram contabilizados 1.563 casos neste ano, contra 425 em todo o ano passado. O que me preocupa também é saber se a cidade só teve mesmo estes cinco casos, ou se os demais não estão sendo notificados”, finalizou preocupando o vereador.
 


Publicado por: Assessoria de Imprensa

Cadastre-se e receba notícias em seu email