Câmara aprova por unanimidade fixação de subsídios para 2017

A fixação de subsídios para os parlamentares fica mantido o valor pago em 2016

Publicado em: 14 de dezembro de 2016

A Câmara de Vereadores de Nova Odessa aprovou hoje, em sessão extraordinária, a fixação de subsídios para os parlamentares da próxima legislatura, prefeito e vice-prefeito. De autoria de oito vereadores, o projeto que envolve a Câmara não repassa a inflação dos últimos 12 meses ao subsídio dos vereadores e mantém o valor pago em 2016, ficando em R$ 5.759,21. O outro projeto repassa a inflação dos últimos 12 meses e eleva em 8,5% (índice INPC) aos subsídios do prefeito e vice, fixando em R$ 12.967,24 para o chefe do Executivo e R$ 5.403,02 ao vice.

 

Vagner Barilon, um dos autores dos projetos, explicou que a medida visa repassar a inflação dos últimos 12 meses elevando o teto máximo de salário do funcionalismo para não dificultar a contratação de profissionais da área de saúde.

 

Diante da necessidade, a proposta uniu situação e oposição que juntas assinaram o documento. São autores de ambas as propostas os vereadores Angelo Roberto Réstio (PMDB), Antonio Alves Teixeira (PT), Carla Furini de Lucena (PSDB), Cláudio José Schooder (PV), Celso Gomes dos Reis Aprígio (PSDB), Sebastião Gomes dos Santos (PMDB), Vagner Barilon (PSDB) e Vladimir Antonio da Fonseca (DEM). O único vereador a não assinar o projeto foi Adriano Lucas Alves, que esteve ausente da sessão. Os projetos foram aprovados por unanimidade.

 

Mesmo com a aprovação da reposição da inflação, o teto municipal de Nova Odessa continua sendo o menor da região. Atualmente é de R$ 11,9 mil, contra R$ 15,7 mil em Sumaré; R$ 23,8 mil em Americana e R$ 25,2 mil em Santa Bárbara d’Oeste.


Publicado por: Assessoria de Imprensa

Cadastre-se e receba notícias em seu email