Nenê Réstio pede conscientização sobre doação de órgãos

Para o vereador a lei brasileira é descomplicada, basta ter engajamento da população

Publicado em: 05 de setembro de 2018

O vereador Angelo Roberto Réstio, o Nenê Réstio (MDB), é autor de um requerimento no qual solicita informações do prefeito, sobre questões relacionadas à conscientização sobre a doação de órgãos no município. A propositura, que traz informações de uma matéria jornalística de que há 18 meses Americana não tem doação de órgãos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e que é preciso conscientizar as famílias sobre o assunto, foi parabenizada pelos demais vereadores.
 
“É importante, na verdade vital, que as pessoas falem sobre este assunto em família. A doação de órgãos é primordial para as pessoas que estão à espera de um transplante deem continuidade as suas vidas. Soubemos que há 18 meses Americana não dispõe de uma doação de órgãos pelo SUS e isso é muito grave. Gostaria de ver aqui em nossa cidade, com o Secretário de Saúde, com a Administração, se existem ações para conscientizar a população sobre este ato de amor”, afirmou Nenê Réstio.
 
O parlamentar ressaltou que muita gente, ao ser perguntado sobre algum ente de sua família, não sabe dizer se era ou não a vontade daquela pessoa ser um doador. “A lei brasileira já deixou tudo muito simples, basta colocar no RG a vontade de ser um doador de órgãos, além de deixar esta questão bem clara com a família”, disse.
 
Durante a discussão da propositura, o vereador Wladiney Pereira Brigida, o Polaco (SD), parabenizou o autor pelo requerimento e, como motorista de ambulância, contou suas experiências. “Como um profissional da Saúde, sei que a dificuldade que o município encontra é em relação aos pacientes que aguardam um transplante de rim. É triste ver como estes pacientes voltam debilitados para casa após as sessões de hemodiálise, por isso é muito importante esta conscientização sobre a doação de órgãos, pois com um simples ato, mudaria a vida de muita gente”, discursou.
 
No documento o parlamentar questiona quais são os trâmites legais para doação ou recebimento de órgãos; se a cidade possui algum cadastro de doadores; se o município tem algum programa para incentivar à doação de órgãos; se em Nova Odessa tem pessoas aguardando em fila de espera para recebimento de órgão; se existe alguma campanha que trate sobre este assunto com o objetivo de esclarecimento e incentivo e, se não tiver, questiona se tem como elaborar campanha neste sentido, mesmo que seja de forma independente dos governos Estadual e Federal.

 


Publicado por: Assessoria de Imprensa

Cadastre-se e receba notícias em seu email