Breve Histórico

Tudo começou com um Núcleo chamado Pombal

A colonização de Nova Odessa se deu por iniciativa do estadista paulista Dr. Carlos Botelho em sua gestão como Secretário de Agricultura do Estado. Ele, a partir de 1904, planejou e desenvolveu o sonho de comportar aqui imigrantes que lidassem com a terra.

Foi em 24 de Maio de 1905 que a cidade passou oficialmente a existir, através do decreto nº 1286. Era apenas um núcleo habitacional que recebeu a primeira denominação de “Pombal”. Inicialmente, o local foi colonizado por imigrantes russos, procedentes de Odessa, cidade que na época pertencia à União Soviética, atual Rússia.

Em 1906, o local passou a se chamar Nova Odessa. Foi quando os poderes públicos dividiram o terreno em lotes, de aproximadamente 10 alqueires, para vender aos colonos e também fizeram a doação do espaço necessário ao povoado.

Os russos apresentaram pouco êxito nos trabalhos agrícolas, ao mesmo tempo em que chegaram as notícias da eficiência dos filhos da Letônia, que foram convidados por Botelho a se instalarem por perto dessas terras férteis para o trabalho no campo.

Homens dedicados, eles atraíram a simpatia geral. Demonstraram ainda muita organização em suas propriedades que traziam, sempre, lindas casas. E, logo, tornaram-se a maioria nestas paragens transformando o local pouco a pouco nesta cidade ordeira e simpática.

Pe. Aurélio lidera luta pela emancipação: Alexandre Bassora foi o primeiro prefeito

No início da década de 50, devido ao seu crescimento e incremento extraordinário com a instalação de várias indústrias, além da divisão de fazendas em pequenas propriedades rurais, Nova Odessa atraiu uma grande massa imigratória de estrangeiros e nacionais, de modo que se tornou uma contribuinte reconhecida dos cofres nacional, estadual e municipal.

Uma das comparações feitas na época para justificar o crescimento refere-se ao número de eleitores que em 1950 era de 260. Em 1958 havia subido para 1.520, e encaminhava-se para 2.000, segundo a previsão do Juiz de Direito da Comarca de Americana, assegurando que Nova Odessa tinha mais de 8 mil habitantes.

Com este surto de progresso contínuo, em 03 de janeiro de 1958, foi aprovada lei requerendo da Assembléia Legislativa Estadual a elevação do Distrito de Nova Odessa à categoria de município.

Em abril de 1958, documentos históricos relativos à emancipação política da cidade foram organizados em enviados à Assembléia reforçando o pedido.

Esses atos atendiam ao clamor da população, que se reuniu numa cruzada histórica e cívica envolvendo a comunidade local, sem distinção de cores partidárias, religiosas, filosóficas, raciais ou classistas, sob a presidência do padre Aurélio Vasconcelos de Almeida.

Nesse período a comunidade se fortaleceu em sua própria memória o que desenvolveu ainda mais o município. Nova Odessa, então, se preparou para eleger seu primeiro prefeito. Um consenso das lideranças políticas indicou a candidatura única e o escolhido para o cargo foi Alexandre Bassora. Seu vice foi o empresário e diretor da Têxtil Nova Odessa, Fernando de Freitas Crisciúma.

A disputa eleitoral ficou apenas entre os candidatos a vereador distruibuídos pelos partidos mais atuantes da época: PSP, PDC, PTB, UDN e PTN.

No dia 1º de janeiro de 1960 foi instalado o município de Nova Odessa pelo juiz da Comarca de Americana, Agnaldo Santos. Também tomou posse o primeiro prefeito Alexandre Bassora.