Representantes de três cidades discutem ações do ‘Plano de Segurança da Água’

Presidente da Câmara de Nova Odessa agendou reunião no DAE de Santa Bárbara d’Oeste

Publicado em: 01 de março de 2019

O vereador e presidente da Câmara de Nova Odessa, Vagner Barilon (PSDB), participou na última quarta-feira (27) de uma reunião na sede operacional do DAE (Departamento de Água e Esgoto), em Santa Bárbara d’Oeste, para discutir detalhes do Plano de Segurança da Água com representantes de mais cidades. A ideia é a elaboração de um protocolo de ações conjuntas de órgãos para garantir a contenção, em caso de acidentes com cargas perigosas perto dos mananciais de abastecimento.

Barilon esteve junto do pesquisador Rinaldo Calheiros, do IAC (Instituto Agronômico de Campinas), do responsável pela Defesa Civil novaodessense, Paulo Bichof, e do agente da Defesa Civil de Vinhedo, Daniel Franzini. O grupo foi recebido por Mônica Tortelli, chefe de Divisão de Educação Ambiental do DAE barbarense. O município possui um esboço de plano, servindo como referência aos demais.

Os representantes discutiram informações do plano de contenção em caso de contaminação de áreas no entorno de rios e represas de abastecimento nas cidades da região. “Nenhum município, além de Santa Bárbara, tem um plano detalhado”, destaca Calheiros. “São ações organizadas, que envolvem as concessionárias de rodovias, os órgãos de saneamento, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros”, detalha.

O objetivo é ter um plano definido sobre como agir em casos de acidentes com veículos que transportam cargas perigosas e contaminantes, que principalmente nos dias de chuva podem desaguar nos mananciais públicos. Em Nova Odessa, as duas represas do Sistema Lopes ficam próximas da Rodovia Anhanguera, e uma das três do Sistema Recanto passa embaixo de um trecho da Rodovia Rodolfo Kivitz.

Protocolo – “Temos um plano que está andando bem em Santa Bárbara, mas tem muitos detalhes e pode ser aprimorado”, sinaliza a dirigente do DAE. Entre os produtos perigosos que necessitariam de contenção estão óleo diesel e os ácidos clorídrico e sulfúrico. Além do protocolo de ações padronizadas, o grupo discute a instalação de estruturas físicas de contenção próximas aos mananciais.

“Envolve o trabalho preventivo e o contingencial, em casos de acidentes”, reforça Paulo Bichof, que comanda a Defesa Civil de Nova Odessa. O presidente da Câmara, Vagner Barilon, cita que até o ano de 2020 haverá a renovação dos contratos de concessão das várias empresas que administram as rodovias que cortam os municípios da região e de todo o Estado.

“É uma oportunidade não apenas de reduzir o valor dos pedágios, como tem dito o governador João Doria, mas também de incluir como responsabilidade a adoção de pequenas medidas que garantam a segurança da água nas cidades”, descreve. Os representantes vão realizar mais reuniões nas cidades próximas para debater o assunto com outros dirigentes dos órgãos envolvidos.

Com o apoio de Calheiros, Barilon iniciou em 2014 o Plano de Sustentabilidade Hídrica em Nova Odessa, um programa de produção de água para aumentar a vazão das nascentes e recuperar o lençol freático. A iniciativa busca a autossuficiência e garantir a segurança dos recursos hídricos. Uma das ferramentas de gestão foi criar o Fundo Municipal de Preservação de Recursos Hídricos, para custear as ações.


Publicado por: Assessoria de Imprensa

Cadastre-se e receba notícias em seu email